terça-feira, 27 de setembro de 2016

Para o ‎procurador Deltan Dallagnol ficar sabendo

Por Cartaxo de Arruda Jr, Diretor do MOVA SE e
Fátima de Deus, Professora, Ativista. Integrantes do NDD
Senhor Procurador andei lendo que você disse: “Quem veio de Portugal para o Brasil foram bandidos e criminosos...” Menos meu caro deixe de ser coxinha a esse ponto, seu complexo de vira lata esta virando síndrome e lhe deixando cego. Quem veio de Portugal para o Brasil meu lord foi “a fina flor do abacateirol”, a nata da nobreza de sangue azul de toda a Europa que se refugiou em Portugal fugindo de Napoleão veio parar no Brasil, assim Napoleão pode dizer: “Eu sou a Europa”, isso sim, nada de bandidos criminosos. Como você se deixa enganar pelos invejosos americanos!?
A requintada nobreza europeia veio parar no Brasil e fizeram aqui o maior e único Império do Novo Mundo enquanto o seu querido EUA não passavam de meras treze colônias. O Brasil se transformava na segunda maior frota naval do mundo e na quarta maior economia do planeta e mais, fomos nos que sustentamos a Inglaterra na guerra contra Napoleão e se for prestar atenção você vai ficar sabendo que o ouro e as pedras preciosas da coroa inglesa foram surrupiados das nossas Minas Gerais.
E digo mais, fique sabendo que o ministro Guido Mantega, que você tirou da sala de operação da sua esposa para prender, pagou os 40 bilhões de dólares que devíamos ao FMI transformando o Brasil de devedor em credor do Fundo, além de acumular mais de 370 bilhões de dólares em reservas financeiras nos fundos internacionais reservas estas que só  perdem para as da China e com 3 vezes mais reservas que os EUA transformando o Brasil da 17ª para a quinta maior potencia econômica mundial. Além de contribuir para tirar 40 milhões de brasileiros da miséria nos governos Lula e Dilma. 
Esse Golpe não vai se manter e como disse Darcy Ribeiro “Eu não quero estar no lugar dos que nos venceram”. Estamos nas ruas e o usurpador Temer já não consegue assistir o Wood Allen em Nova York sem ouvir o Fora Temer. Não consegue sair de casa, nem dos palácios. Vamos defender os BRICS, um Banco dos países do terceiro mundo melhor que o FMI, manteremos o MERCOSUL e o Brasil será o pais do futuro. 
A farsa que você encerra não vai perdurar por muito tempo não seu entreguista mequetrefe.

Jandira Feghali e Lula no Rio de Janeiro

Jandira Feghali e Lula agora em Bangu, em campanha para Jandira prefeita do Rio de Janeiro!




segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O papel da mídia brasileira no Golpe

Professora Luiziana vota #Luizianne13

Professor João Barbosa vota #Luizianne13

#Luizianne13 : Os Coronéis não são donos de Fortaleza

O aprofundamento do Estado de Exceção

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:
Peça 1 – o cenário provável
Traçar cenários é tarefa complexa.
O ponto inicial é identificar a tendência da onda do momento e o que poderá acontecer se não surgir nenhum elemento novo, anticíclico, capaz de contê-la. Em geral, esse tipo de cenário serve de alerta, ajudando a estimular forças contracíclicas quando se quer prevenir desastres. Mesmo assim, nações entram na onda fatal, no que cientistas sociais denominaram de “era da insensatez” e vão para o buraco, sem que nenhuma força contra cíclica consiga segurar a queda.
Neste momento, há duas tendências de consolidando, uma de forma mais evidente, outra de forma mais tênue.
Tendência 1 - o aprofundamento do estado de exceção.
Tendência 2 – o início do processo de fritura do governo Michel Temer pela aliança Globo-Lava Jato-PSDB.
A eventual queda da camarilha dos 6, ao contrário das visões mais otimistas, significará um aprofundamento da repressão.
Vamos por partes.
Peça 2 – o aprofundamento do Estado de Exceção
Ao contrário dos golpes militares, nos golpes judiciais o estado de exceção se impõe por etapas. Muda-se o patamar da legalidade aos poucos, através de episódios centrais, que muitas vezes passam ao largo da opinião pública.
No caso brasileiro, as etapas do estado de exceção são nítidas:
1o Passo – a condução coercitiva de Lula e o vazamento dos grampos entre ele e Dilma.
2o Passo – o fato do Ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), ter reconhecido a ilegalidade dos vazamentos, mas não adotado nenhuma sanção contra o juiz Sérgio Moro.
3o Passo – a profusão de prisões preventivas, culminando com os argumentos invocados para a prisão do ex-Ministro Guido Mantega, sem que se vislumbre nenhuma força capaz de impedir a escalada de arbítrio.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Reforma no Ensino Médio: uma cilada autoritária para privatizar a educação


O governo golpista de Michel Temer editou hoje Medida Provisória com um pacote de reformas para o Ensino Médio sob a justificativa da necessidade de reduzir a elevar evasão e a qualidade nessa etapa da Educação Básica.
Uma proposta de transformação profunda na educação do país, sem dúvida, mereceria grandes debates, envolvimento da comunidade escolar e das universidades de todo país. Entretanto, o que se vê é mais um retrocesso em relação aos processos e às conquistas democráticas. Não se melhorar a qualidade da educação por meio de uma Medida Provisória, um instrumento que revela apenas o caráter profundamente autoritário dessa reforma. A formulação de políticas educacionais precisa avançar mediante aprofundamento do tema com a participação dos diversos segmentos sociais, de forma a contemplar a pluralidade e a diversidade de ideias.
Um dos pontos mais controversos dessa reforma diz respeito à organização curricular em áreas de conhecimento, com a primeira parte comum a todos os estudantes e a segunda específica segundo a escolha do/a estudante por uma das áreas de aprofundamento - linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica profissional. A retórica reformista é a flexibilização e o enxugamento de conteúdos de acordo com os percursos formativos. Porém, na prática esse modelo visa apenas à redução. O objetivo central da reforma está mais relacionado à lógica do mercado do que à expansão das fronteiras do pensamento.
Eis a cilada! Ao descartar grandes parcelas de estudantes do acesso pleno às diversas áreas do conhecimento, há uma condução para a formação técnica. A estruturação dessa oferta será feita por meio de contratos com organizações privadas de educação profissional. Os governos passam a comprar vagas nos cursos técnicos, reduzir quadro de profissionais da educação e abrir espaço para a atuação de empresa privadas. Certamente, essa reforma afetará as camadas sociais mais desprivilegiadas, que ficarão submetidas a um ensino meramente instrumental, modelo que se opõe e se impõe sobre uma concepção integrada do currículo escolar. Essa imposição compromete o princípio constitucional da igualdade de condições de acesso e permanência e de alcance dos níveis mais elevados de ensino.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Luizianne Lins a Cultura da PAZ pode transformar Fortaleza

Proposta de Temer para ensino médio deverá repetir fórmula fracassada de FHC

Para especialistas, reforma vai empobrecer a formação sem corrigir distorções trazidas por políticas educacionais neoliberais fracassadas, como a promoção automática no ensino fundamental
por Cida de Oliveira, da RBA
A proposta de reforma do ensino médio que o governo de Michel Temer deve enviar ao Congresso nos próximos dias, em forma de medida provisória, tem tudo para repetir fórmulas fracassadas dos tempos do governo Fernando Henrique Cardoso, baseadas no empobrecimento da formação para baratear os custos. Esta é a expectativa do professor do Departamento de Educação do campus de Assis da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Carlos da Fonseca Brandão.
"Não dá para saber ao certo o que estará no projeto de reforma. Mas a julgar pela configuração do Ministério da Educação, com pessoas que foram chave nas políticas educacionais dos anos FHC, e com os projetos de corte nas áreas sociais, não se pode esperar algo diferente", diz o professor.
No início de setembro, logo após a divulgação dos resultados da edição 2015 do Índice de Desenvolvimento da Educação (Ideb), no qual o ensino médio da rede pública não atingiu a meta estipulada de 4,3, ficando em 3,7, o ministro Mendonça Filho anunciou reformas. E a secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães Castro, afirmou que o governo defende a flexibilização curricular, dividida por áreas do conhecimento, com um ano e meio de disciplinas comuns e o restante opcional, voltado ao mundo do trabalho. E aposta também no ensino de tempo integral. Maria Helena integrou a equipe de FHC e de governos estaduais tucanos, inclusive São Paulo.

João Alfredo e Mário Mamede analisam a Violência, em Fortaleza

Luizianne Lins pinga fogo com os jornalistas, em Fortaleza

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

#VoltaLôra e #ForaTemer

Panfletam #Luizianne13 no Vila União

Companheira Alba Montenegro e a Equipe da Inclusão estão fazendo uma trabalho maravilhoso de panfletagem #Luizianne13 no bairro Vila União, em Fortaleza, convidando o povo para o Comício de Luizianne Lins, 18 horas. Parabéns!

Luizianne Lins do PT na Vila União e Serrinha

HOJE, nossa campanha passa pelo Conjunto Palmeiras, Vila União e Serrinha. O #TimeDaLôra está convocado. Participe e mostre seu apoio! #VoltaLôra #Luizianne13

Ato #ForaTemer em SP reafirma resistência popular ao golpe

SP, 18/09: Ato #ForaTemer em SP reafirma resistência popular ao golpe. Ato foi pacífico, apesar da truculência da PM