segunda-feira, 20 de abril de 2015

Dilma está virando o cabo das Tormentas

A manipulação do debate em torno das “pedaladas fiscais” é a última bala no cartucho da oposição e mídia para derrubar o voto de 54 milhões de eleitores.
E tudo deverá ser decidido neste primeiro semestre, com a aprovação final das contas de Dilma e a decisão sobre a legalidade das manobras fiscais do governo em 2014.
Em meados de julho, Dilma poderá ter virado o Cabo das Tormentas, tendo feito a travessia pelas águas mais perigosas e turbulentas de que tivemos notícia em muitos anos.
Por isso mesmo, a mídia precisa agir com uma urgência e um consenso que não estão acontecendo.
Este consenso e essa urgência, pelo golpe, existe nos jornalões. Todos em crise financeira, estão desesperados por um golpe que ponha no governo alguém que os ajudem a sair do buraco.
Já vimos que os tucanos são pão-duros para pagar professores, médicos e servidores públicos em geral, mas não poupam recursos para financiar a mídia amiga, aí incluindo mensalões de até R$ 70 mil para blogueiros que atacam o PT.
Nada como um dia após o outro.
A história do “blogueiro pago com dinheiro público”, que os tucanos tentaram usar contra os blogueiros de esquerda, acabou por se voltar para os tucanos, exclusivamente contra eles.
Bem, voltando a questão do impeachment, a mídia precisava de um consenso absoluto: não conseguiu.
Eduardo Cunha, presidente da Câmara, cujo principal poder é justamente o de poder aceitar, ou não, pôr em votação o impeachment da presidenta, já percebeu que a canoa é furada. Afinal, deve pensar, mesmo que aceitasse o pedido, isso não garantiria o seu sucesso. E Cunha ficaria na linha de tiro como liderança do golpe.

Faixa exclusiva de ônibus de Curitiba terá fiscalização a partir de quarta-feira

Curitiba – Brasil – Após o período de orientação de motoristas, a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) inicia nesta quarta-feira (22) a fiscalização de proibição de circulação de veículos na faixa exclusiva de ônibus da Rua Desembargado Westphalen. A fiscalização será feita por agentes de trânsito. Os infratores por invasão da faixa exclusiva serão autuados por desrespeito ao inciso primeiro do artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro: “Transitar com o veículo na faixa ou pista da direita, regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo, exceto para acesso a imóveis lindeiros ou conversões à direita”. A infração é leve (3 pontos na carteira de habilitação) e a multa é de R$ 53,20. No trecho exclusivo, que vai da Avenida Visconde de Guarapuava até a Avenida Presidente Getúlio Vargas, será permitido apenas o acesso de veículos para acesso a garagens de casas e prédios localizados no lado direito da Rua Des. Westphalen. Os táxis poderão entrar na faixa exclusiva para levar ou pegar passageiros, mas não poderão estacionar na mesma – devem adentrar as guias rebaixadas existentes e permanecer apenas o tempo necessário para o embarque e desembarque de passageiros.
Acesse o Blog da #Dilma: http://www.blogdadilma.com/

Classe dominante condena a corrupção, mas defende a sonegação

Advogado avalia que cartaz carregado em manifestação da direita, com os dizeres 'Sonegação não é corrupção, fora Dilma', revela contradição da elite, que condena o crime dos políticos, mas acha correta a evasão de impostos
por Helder Lima, da RBA
São Paulo – Uma imagem da manifestação contra o governo do último dia 12, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, chocou os brasileiros. Uma pessoa empunhava um cartaz de fundo azul onde se lia “Sonegação não é corrupção, fora Dilma”. A imagem correu a internet e provocou indignação já que, no mínimo, sua mensagem reflete um pensamento com dois pesos e duas medidas: condena os políticos, cuja imagem é atrelada à corrupção, mas por outro lado defende a iniciativa privada, que historicamente sonega impostos no país e nos últimos tempos tem ocupado o noticiário, ainda que timidamente na grande imprensa, por meio dos crimes investigados pela Operação Zelotis e denunciados pelo Swissleaks, este sobre a evasão de divisas de cerca de 8.600 brasileiros das elites para agência do HSBC na Suíça.
“É preciso ver o recorte de classe social e ideológico de quem estava se manifestando, mas é um público de alta renda, que tem voto mais conservador; você tem uma cultura geral que valoriza a sonegação diante de um estado que hipertributa o cidadão e tende a tornar a corrupção um escândalo público”, afirma o advogado e ativista Hugo Albuquerque.
Historicamente, esse é um discurso legado pela União Democrática Nacional (UDN), diz Albuquerque, em referência ao partido político que antes do golpe militar de 1964 aglutinava as forças conservadoras na política brasileira. “Existe uma contradição da classe dominante no país, que constrói um discurso moralista, mas que na verdade é uma crítica seletiva à corrupção”, afirma.
A classe dominante, que na opinião do advogado tem um caráter perdulário, está imbricada na corrupção “porque não existe corrupção sem a empresa privada; a sonegação seria para a sociedade civil o que é a corrupção para a classe política”. E continua: “É como se dissessem 'nós somos os puros' e submetessem a sonegação a um processo de naturalização e vista grossa”.

Foto Dilma em 1962

Dilma em 1962
O escritor Fernando Morais postou em seu perfil do Facebook uma foto histórica da Presidenta República. Dilma está em seu baile de debutantes, em 1962, ainda em Belo Horizonte, quando estudava no Colégio Sion. Logo depois Dilma foi lutar contra a ditadura militar no país. Como disse Morais: “trocou a taça de champã por um pau-de-fogo”. Acesse o Blog da #Dilma: http://www.blogdadilma.com/

Vídeo: Joana Almeida - CUT/CE: Terceirização, a Direita contra os trabalhadores


sábado, 18 de abril de 2015

Eu vou ao #WebFor2015

Eu vou ao #WEBFOR2015, dias 10 e 11 de outubro, em Fortaleza/CE. Evento de TI, Software livre, games, blogosfera e ativistas digitais. https://www.facebook.com/events/820806711315267/

Nova descoberta na Bacia do Amazonas

Leia o comunicado que divulgamos hoje sobre nova descoberta:
A Petrobras comunica a descoberta de uma nova acumulação de óleo e gás na Bacia do Amazonas, no Bloco AM-T-84.
A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço 1-BRSA-1293-AM (nomenclatura ANP), informalmente conhecido como Jusante do Anebá. O poço foi perfurado até a profundidade final de 2.040 metros.
Os primeiros testes realizados no poço comprovaram a presença de óleo leve (de 47° API) e de gás em reservatórios arenosos, que se distribuem no intervalo entre as profundidades de 1.350 e 1.900m.
A Petrobras é a operadora da concessão (60%), em parceria com a Petrogal Brasil (40%).
O consórcio dará continuidade aos trabalhos de avaliação dos reservatórios portadores de óleo e gás, por meio de teste de formação a poço revestido. Fonte: Petrobras.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Facebook anunciou que voltou atrás e desbloqueou a foto de índia com seios expostos

A foto de 1909, feita por Walter Garbe, foi colocada na página do MinC no Facebook na quarta-feira (15), por volta das 15h, em notícia sobre o lançamento do Portal Brasiliana Fotográfica. Horas depois o Facebook a retirou do ar alegando que ia contra políticas internas. Segundo o ministério, ao tomar conhecimento do bloqueio da fotografia na manhã de quinta-feira (16), o MinC entrou em contato com o Facebook, alertando para a ilegalidade e solicitando o imediato desbloqueio da fotografia. O facebook anunciou na noite de sexta-feira (17) que voltou atrás e desbloqueou a foto de índia com seios expostos no perfil do Ministério da Cultura (MinC) na rede social.
Blog da Dilma no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDilmaRousseff

Caso Verônica Bolina

Caso Verônica Bolina: Comissão de Direitos Humanos faz pedido de esclarecimentos ao Governador Geraldo Alckmin
 A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados encaminhou, nesta quinta-feira (16), pedido de informações ao Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e ao Procurador-Geral do Ministério Público-SP, Márcio Fernando Elias Rosa, sobre o abuso de autoridade cometido por policias contra a travesti Verônica Bolina. No último dia 12, Verônica foi presa e levada ao 2º Distrito Policial, no Bom Retiro. A vítima foi espancada, teve seus cabelos cortados e foi humilhada, tendo seios e nádegas expostos.
Em ofício, o Presidente da CDHM, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), informou que a Comissão instaurou procedimento para acompanhar os crimes de tortura, agressão, racismo e homofobia, entre outros, praticados pelas autoridades policiais contra Verônica Bolina. Pimenta também requereu informações sobre as providências adotadas pelo governo Geraldo Alckmin e pelo Ministério Público de São Paulo para “rigorosa apuração do ocorrido, com vistas à punição exemplar dos culpados”.

Dilma parabeniza estudante que será primeiro brasileiro civil a ir ao espaço

A presidenta Dilma Rousseff parabenizou nesta sexta-feira (17), por meio de sua conta no Twitter, o estudante Pedro Nehme, pela conquista de ser o primeiro brasileiro civil a ir ao espaço, ainda neste ano.
Pedro, de 23 anos, é estudante de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e bolsista da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), estagiou na Nasa e, conforme destacou a presidenta em sua mensagem, foi da primeira turma do Ciência sem Fronteiras.
Nehme foi selecionado após vencer um concurso com outros 129 mil concorrentes de todo o mundo e fará um voo suborbital. Ele terá a missão de levar ao espaço um experimento, selecionado pela AEB, capaz de avaliar os diversos aspectos fisiológicos relacionados à exposição do corpo humano ao ambiente de microgravidade e hipergravidade, decorrentes de um voo suborbital tripulado.

Vídeo: Professor Nagib: barrar a PL 4330 - #VetaDilma


sexta-feira, 17 de abril de 2015

Aécio não tem moral para pedir impeachment, diz Carvalho

São Paulo - O ex-ministro da Secretaria-geral da Presidência da República Gilberto Carvalho (PT) disse na noite desta quinta-feira, 16, que o senador Aécio Neves e o PSDB fazem demagogia ao se aproximarem dos movimentos que protestam contra o governo Dilma Rousseff.
Ele afirmou ainda que Aécio "não tem moral" para pedir o impeachment da presidente.
"O PSDB está correndo atrás do apoio das massas. Isso é demagogia. É tentar fazer agora uma sintonia com as ruas que eles não tiveram e agora oportunisticamente tentam ter. Ele (Aécio) devia pensar no que ele fez em Minas Gerais e a maneira como o Fernando (Pimentel, governador pelo PT) encontrou Minas Gerais, aquele desgoverno absurdo", disse Carvalho. "Ele (Aécio) não tem moral nenhuma para falar isso, ele tem que aceitar a derrota que ele sofreu - ele foi um honroso candidato, tudo bem - mas não posso levar a sério, sinceramente acho que isso é uma apelação que não merece consideração", completou.
O PSDB, liderado por Aécio Neves, junto a outros partidos de oposição, estuda fatos para respaldar um eventual pedido de afastamento de Dilma.
Entre esses fatos estão a responsabilidade da presidente por crimes fiscais em função das chamadas "pedaladas" - que foram aportes de bancos públicos para fechar as contas da União; o uso irregular dos Correios nas eleições; e a acusação de que a Controladoria-Geral da União (CGU) segurou informações sobre irregularidades na Petrobras para serem apuradas apenas após o pleito do ano passado.

A batalha da comunicação e as perspectivas para o segundo mandato

Por Rennan Martins | Vila Velha
As últimas eleições e o clima político ainda deflagrado no país evidenciam o quanto a comunicação é crucial para o desenrolar saudável de uma democracia. A atuação cartelizada e o comportamento partidário da imprensa corporativa brasileira produz sérias distorções que num ambiente extremado dá espaço a soluções antidemocráticas e desrespeitosas ao Estado de direito tão duramente conquistado no fim do século passado.
A renovação ocorrida no Ministério das Comunicações e na Secretaria de Comunicação da Presidência abre a possibilidade de uma discussão sobre mudanças na política governamental que visem fortalecer o debate plural na sociedade. O tema é urgente dada a ofensiva da grande mídia que impõe sua agenda e quer a garantia de que as verbas publicitárias estatais serão somente suas ad infinitum.
Para abordar com propriedade esse debate o Blog dos Desenvolvimentistas entrevistou Beto Almeida, jornalista e conselheiro da rede de TV multi-estatal Telesur. Beto constata um ambiente desfavorável para regulamentação entre os parlamentares. Indica medidas executivas, que independem dos congressistas, com potencial de democratizar a imprensa e questiona arduamente qual a razão do PT não possuir um jornal de massas.
Confira a íntegra:
O atual ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, assumiu a pasta com o entusiasmo dos movimentos sociais. Até agora sua gestão correspondeu as expectativas? Qual é a linha de atuação do ministro?

Vídeo: Professor Nagib: barrar a PL 4330 - #VetaDilma


50 anos da Globo: Vamos descomemorar!

Manifesto
A TV Globo festejará os seus 50 anos de existência no dia 26 de abril. Serão promovidos megaeventos e lançados vários produtos comemorativos. No mesmo período, porém, muita gente está disposta a promover a “descomemoração” do aniversário do império global, um ato de repúdio ao papel nocivo desse grupo de mídia na história do país. Uma palavra-de-ordem que se destaca em todo o Brasil em manifestações recentes é: “O povo não é bobo. Fora Rede Globo”. E motivos não faltam para esta revolta.
A emissora é filha bastarda do golpe militar de 1964. O então diretor do jornal “O Globo” Roberto Marinho foi um dos principais incentivadores da deposição do presidente João Goulart, dando sustentação ideológica à ação das Forças Armadas. Um ano depois, foi fundada a sua emissora de televisão, que ganhou as graças dos ditadores. O império foi construído com incentivos públicos, isenções fiscais e outras mutretas. Os concorrentes no setor foram alijados, apesar do falso discurso global sobre o livre mercado.
Nascida da costela da ditadura, a TV Globo tem um DNA golpista. Apoiou abertamente as prisões, torturas e assassinatos de inúmeros lutadores patriotas e democratas que combateram o regime autoritário. Fez de tudo para salvar o regime dos ditadores, inclusive omitindo a jornada das Diretas Já na década de 80. Com a democratização do país, ela atuou para eleger seus candidatos – os falsos “caçadores de marajás” e os convertidos “príncipes neoliberais”. Na fase recente, a TV Globo militou contra toda e qualquer avanço mais progressista, atuando na desestabilização dos governos que não rezam integralmente a sua cartilha. Nas marchas de março desse ano, ela ajudou a mobilizar o anseio golpista e garantiu a ele todos seus holofotes.
A revolta contra a Globo que ganha corpo está ligada também à postura sempre autoritária diante dos movimentos sociais brasileiros. As lutas dos trabalhadores ou não são notícia na telinha ou são duramente criminalizadas. A emissora nunca escondeu o seu ódio ao sindicalismo, às lutas da juventude, aos movimentos dos sem-terra e dos sem-teto. Através da sua programação, não é nada raro ver a naturalização e o reforço ao ódio e ao preconceito. Esse clima de controle e censura oprime jornalistas, radialistas e demais trabalhadores da empresa, que são subjugados por uma linha editorial que impede, na prática, o exercício do bom jornalismo, servidor do interesse público, em vez da submissão à ânsia de poder de grupos privados.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia comemorativa do Dia do Exército

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia comemorativa do Dia do Exército e de Imposição da Comenda da Ordem do Mérito Militar. (Brasília - DF, 16/04/2015)
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR. http://blogdadilma.com/

Henrique Alves será o novo ministro do Turismo

A presidenta Dilma Rousseff anunciou, nesta quarta-feira (15), o nome do ex-deputado Henrique Eduardo Alves como novo ministro do Turismo. A posse de Alves no cargo será nesta quinta-feira (16), às 15h.
Em nota divulgada pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República, a presidenta agradeceu a lealdade do ministro Vinícius Lages que deixa o cargo.
Confira a nota na íntegra:
“A presidenta Dilma Rousseff convidou nesta quarta-feira, 15 de abril, o ex-deputado Henrique Eduardo Alves para assumir o Ministério do Turismo. O ministro Vinícius Lages está deixando a pasta. A presidenta Dilma agradece a dedicação e lealdade do ministro Vinícius Lages. A posse do novo ministro ocorrerá nesta quinta-feira, 16 de abril, às 15h.”
Secretaria de Imprensa/SECOM
Presidência da República

Vídeo: Joana Almeida - CUT/CE: Terceirização – goela abaixo, não


Sob pressão da CUT, Câmara adia votação de emendas a PL 4330

Nesta semana não se vota mais o Projeto de Lei 4330/2004. O texto, porém, ainda não foi engavetado. Ainda. É fato, porém, que o Congresso acusou o golpe da paralisação nacional comandada pela CUT nesta quarta-feira (15), que pintou de vermelho todos os estados do Brasil.
Enquanto isso, dentro da Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), grande defensor do PL que permite a terceirização sem limites, teve que suspender a sessão.
Foi necessário convocar uma reunião de líderes partidários para não votar os destaques ao texto-base sob o risco de ser derrotado nos temas centrais (leia no final) por não ter maioria no parlamento. 
Os pontos polêmicos, conforme já havia destacado o Portal da CUT, podem ser votados somente na próxima quarta (22) e quinta-feira (23). A decisão, porém, não é garantida, já que a definição dos parlamentares sobre a medida provisória 665, que altera as regras para acesso ao seguro-desemprego trancará a pauta.
Como já era visível na terça, quanto mais conhecem o projeto, mais parlamentares mudam de lado e, diante da pressão nas ruas, nas bases eleitorais e nas redes sociais temem ter o nome atrelado a um texto que rasga a CLT e acaba com direitos trabalhistas.
Partidos como PDT, PP e PSDB, que votaram majoritariamente a favor do PL 4330 no último dia 8, já não concordam com pontos como a terceirização da atividade-fim.
Secretária de Relações do Trabalho da CUT, Graça Costa, defende que a divisão das bancadas é resultado da postura truculenta de Eduardo Cunha, que insiste em evitar o debate sobre o tema e tentar acelerar a decisão. O próximo passo, define, é arquivar o texto.

Movimentos do campo sofrem com avanço da violência e dos despejos

Por Marcela Belchior - Adital
Os movimentos de luta pelo direito à terra no Brasil vivem um momento de profunda repressão. Relatório divulgado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) aponta que as ocorrências de violência contra a pessoa, em 2014, com ameaças, tentativas de assassinato e mortes de lideranças do campo, cresceram em relação a 2013. Foram registrados 1.286 mais conflitos do que no ano anterior, envolvendo um número de pessoas 43% maior. Além disso, o número de famílias despejadas quase dobrou no último ano.
Segundo o levantamento, o número de assassinatos passou de 34, em 2013, para 36, em 2014, um aumento de 6%. Esse crescimento se deu na região Centro-Oeste, onde o número de assassinatos passou de seis para oito, 33% a mais, e, no Sul, de um para três, 200% a mais. Na região Norte, o número seguiu a mesma tendência: 14 assassinatos, tanto em 2013 quanto em 2014. Já na região Nordeste, o número teve declínio de 10 para nove e, no Sudeste, de três para dois. Diferentemente dos anos anteriores, em que se destacava entre os assassinados indígenas e quilombolas, o alvo principal em 2014 foram sem-terra (11), assentados (oito) e posseiros (sete).
De 15 tentativas de assassinato, em 2013, o número saltou para 56, em 2014, o que representa um crescimento de 273%. Esse salto se deu em todas as regiões do Brasil, menos no Centro-Oeste, onde o número caiu de sete para três. No Nordeste, as tentativas cresceram de cinco, em 2013, para 11, em 2014, 120%; no Norte, de zero para 32, 3.200% (28 delas no Pará); no Sudeste, de um para sete, 600%, e no Sul, de dois para três, 50%. Por outro lado, o número de registros de ameaças de morte recuou de 241, em 2013, para 182, em 2014, ou seja, menos 24%. Este recuo se deu em todas as regiões do país.
Outro dado que se destaca na violência contra os homens e as mulheres do campo é o do número de famílias despejadas, que cresceu quase 92%. Enquanto 6.358 famílias foram despejadas, em 2013, 12.188 foram em 2014. Este crescimento se deu em todas as regiões do Brasil, menos no Norte, onde o número decaiu. No Centro-Oeste, o crescimento foi de 112%, no Nordeste, o número aumentou em 136%; no Sudeste, saltou 123%; e, no Sul, atingiu um crescimento de 419%.