Manutenção de vetos é fundamental para os interesses do país, diz líder do governo

A reunião de coordenação política desta segunda-feira (16) teve como pauta principal a análise dos vetos presidenciais em sessão conjunta do Congresso Nacional a ser realizada na terça-feira (17). De acordo com o líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães, “manter os vetos é fundamental para estabilizar a relação política”.
Serão analisados 13 vetos da presidenta Dilma Rousseff, sendo um deles o veto ao projeto de lei que concede reajuste de até 78% aos servidores do Judiciário, que teria custo de R$ 36,2 bilhões aos cofres públicos até 2019, prejudicando o ajuste fiscal.
O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, ressaltou que a prioridade é que a pauta não tranque.
“Os vetos deverão ser votados, é importantíssima a manutenção dos vetos. Não para o governo, mas para o Brasil. São temas que dizem respeito à Nação, porque, senão, indiscutivelmente não vamos ter como fazer nenhum ajuste fiscal”, declarou.
Ajuste
José Guimarães destacou também que é preciso dar prosseguimento na tramitação da DRU [Desvinculação das Receitas da União], mecanismo que permite ao governo usar livremente parte do orçamento na comissão que foi instalada”, bem como votar duas medidas provisórias (685 e 691) e um projeto de lei que também fazem parte do pacote do ajuste.
“É fundamental, e para isso o diálogo com a oposição fluiu. Há o entendimento sobre o mérito da matéria. Nós temos que votar as medidas provisórias, a CMO (Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização), sessão do Congresso. Se nós fizermos isso, nós estaremos contribuindo 100% com o país”.
“Acertamos que, de hoje para amanhã, é muito diálogo, sobretudo para a sessão do Congresso sobre os vetos. É uma semana com grandes pautas. A reunião foi para afinar o discurso, a estratégia e, sobretudo, para a reunião que nós vamos ter amanhã de manhã com os líderes da base”, disse.

Comentários