Porque Daesh(ISIS) ameaça Israel

por David S. Moran – A resenha desta semana inclui os seguintes temas: Porque Daesh ameaça Israel? O jihad é contra os cristãos também. Omri Caspi brilha no basquete americano. Formatura de 40 novos pilotos da Força Aérea de Israel. Três cientistas israelenses em altos cargos no CERN. O maior dessalinizador no hemisfério Ocidental.
A organização terrorista Daesh, conhecida no Ocidente como Estado Islamico (EI) de muçulmanos sunitas, estava com tudo. Na confusão em várias regiões no Oriente Médio ela foi conquistando terreno, poços de petróleo para movimentar sua economia e adeptos. Em maio do ano passado, o auto se proclamado “califa”, Abu Bakr al Baghdadi, foi atingido num ataque americano. Por pouco escapou da morte, foi gravemente ferido e desde então silencioso. No último fim de semana (25) Daesh (EI) publicou uma gravação de 24 minutos, aparentemente, com a voz de al Baghdadi. O vídeo anexo a gravação nada tem a ver com a voz e por isso não se sabe se é ele mesmo que fala e qual é o seu estado de saúde.
O EI estava empenhado em lutar no Iraque e na Síria contra muçulmanos xiitas, contra os infiéis e contra a educação Ocidental, mas não ameaçava o Estados de Israel. Só que na última gravação ouve-se, aparentemente, al Baghdadi ameaçar Israel e os judeus. Nela êle afirma que :”os israelenses nos encontrarão brevemente, pagarão um prêço alto e enfrentarão a ferocidade que trazem consigo nossos combatentes.(…)os judeus (termo antes jamais usado e nesta gravação repetido 10 vêzes) não terão sossego e Palestina será brevemente seu cemitério.(…) Os judeus pensam que esquecemos a Palestina, mas em nenhum momento isso aconteceu. Brevemente Falastin ouvirá a voz dos nossos guerreiros, os corajosos leões do califado.(…) a nossa guerra não é sòmente contra as cruzadas (cristãos) é contra todo o mundo que luta contra nos. O jihad (guerra santa) é obrigação de cada muçulmano.(…) quem é morto é altamente recompensado. Não temam os infiéis, a vitória será nossa”.
A voz atribuida ao líder do Daesh acusa os cristãos e judeus de temerem lutar contra a organização e usam os “colaboradores”. Estes são os infiéis, os curdos e os xiitas.(…)cada muçulmano tem que lutar com o EI e especialmente combater a Arabia Saudita, cujo rei Salman está com os dias contados, está é a guerra final do rei traidor”.
Porque de repente agora apareceu a gravação atribuida a Abu Bakr? Daesh, antes chamado de ISIS (abreviação de Estado Islamico do Iraque e da Síria) passou a ISIL (abreviação do EI do Iraque e do Levante, que inclui a Síria, Líbano, parte da Jordania e de Israel). Com a comida vem o apetite e agora se auto proclamou Estado Islamico, que quer conquistar todo o mundo muçulmano e depois…
Quando surgiu a organização foi tomando territórios do anarquico Iraque e da caótica Síria, com seus poços de petróleo que alimenta a energia da guerra. As vitórias com a ajuda do govêrno islamista turco que de um lado comprava o petróleo barato do EI e do outro permitia a jovens muçulmanos doi mundo todo afluir e engrossar as fileiras da organização.
A coalizão não lhe arranhava a imagem, mas quando Putin resolveu ajudar seu aliado sírio, sua aviação entrou com tudo, destruindo importantes áreas e poços petrolíferos. O EI começou a perder força e terreno. No norte forças curdas reconquistaram cidade importante como Kubani e outras áreas formando um território curdo contínuo na maior parte da fronteira entre Síria e Turquia.
O exército do Iraque com ajuda americana revidaram e após mais de meio ano, retomaram a cidade sunita de Ramadi, capital da região de Al Anbar a 100 km ao oeste de Bagdad. Estas derrotas simbolicas influenciam a moral tanto dos terroristas do EI-para baixo- como a dos adversários, como o govêrno iraquiano e jordaniano para cima. Com as perdas territoriais e as ações da coalizão, Daesh sofreu grandes perdas de vários comandantes de alto escalão e de combatentes. Em Ramadi logo visitada pelo premier do Iraque que fez “a visita da vitória” e prometeu que reconquistarão as cidades de Mosul e Faluja.
Diante desta adversidade do Daesh (EI) a organização apelou para a antiga manobra para elevar a moral e conseguir novos jihadistas, através das ameaças ao Estado de Israel. Este país não está de braços cruzados e preparado para qualquer eventualidade.
O JIHAD É CONTRA OS CRISTÃOS TAMBÉM
O terror islamista abalou as festas do final de ano e este é um dos objetivos do terror. Sem fazer nada concreto, muitas festas foram canceladas, em outras grandes medidas de segurança adotadas. Já antes do Natal o govêrno Hamas na Faixa de Gaza, liderada por Ismail Hanie enviou a todos os restaurantes e salões de festas ordens proibindo festejar a importante data dos cristãos e o São Silvestre. Fatos como este ocorre em outras partes do mundo islamico. Até mesmo o líder da rica Brunei, declarou as festas não muçulmanas proibidas e quem infringir a lei será preso.
Enquanto a dinastia dos Assad protegia os cristãos na Síria, agora nas áreas conquistadas pelo EI na Síria e no Iraque êles são perseguidos. Pouco é relatado, só quando cometeram atrocidades contra os yazidis algo foi divulgado. O mesmo ocorreu da fuga dos cristãos de Mosul. No Iraque de 2003 com cerca de 1.5 milhão de cristãos, atualmente este numero foi reduzido a 200.000. Este processo ocorre também na Autoridade Palestina. Bethlehem (Belém) quando foi transferida de Israel para os palestinos em 1995, contava com população cristã de 50%, reduzida atualmente a cerca de 10%. Os árabes cristãos deixam suas cidades devido ao latente extremismo dos muçulmanos.
Até o presidente americano Barak Obama referiu-se a estas tragédias. Na véspera do Natal, ele declarou:” rezarei pelos cristãos nos países em que não podem comemorar o Natal e as festas cristãs”. Será que o líder da maior potência mundial não deveria fazer tudo em seu poder para que cristãos em todo o mundo possam exercer seu credo livremente? Se Obama não pode fazê-lo, o que podem fazer países com menor poderio?
ISRAELENSE BRILHA NO BASQUETE AMERICANO
Omri Caspi foi o primeiro jogador israelense escolhido para jogar no melhor campeonato do mundo na modalidade,na NBA. Isto aconteceu há 7 anos, Israel vibrava e torcia pelo jovem. Desde então ele teve altas e principalmente baixas, devido a contusões e má sorte. Caspi, teimoso não se abalava e fazia tudo para continuar. A paciência e o esforço deram resultado. Jogando este ano pelo Sacramento Kings, Caspi obtem os seus melhores jogos e tornou-se titular e líder da equipe.
Esta semana o Kings teve um osso duro para roer. Jogou contra a atual campeã, o Golden State Warriors que tem no seu quadro o melhor jogador da atualidade, Steph Curry. A mão quente do Caspi ferveu. Neste jogo conseguiu a melhor pontuação da sua carreira, 36 pontos. Destes 27 foram conseguidos em 9 arremessos para 3 pontos de 12 tentativas. Até os locutores americanos vibravam de Caspi. No final e apesar do grande esforço, os campeões do Golden State venceram o jogo por 122 contra 103 do Sacramento.
40 NOVOS PILOTOS DO CURSO 171 DA FORÇA AÉREA ISRAELENSE
Israel é um pequeno país e por razões de segurança tem certas informações que mantem em segredo. Mas o tabu vai caindo aos poucos. Ontem (31) foi a formatura de novos pilotos da Força Aérea de Israel, que após mais de 2 árduos anos encorporam os áses do ar. Pela primeira vez, a F.A.I informou que são 40 os formandos, inclusive uma pilota. Geralmente, duas vêzes ao ano há formaturas de novos pilotos. Neste curso, 24% dos pilotos vivem em cidades, 40% em pequenos povoados, 21% em moshavim (comunidades agricolas) e 15% em kibutzim. Quase todos são “sabras” nascidos no país, mas 9% nasceram no exterior, vieram da Bélgica, EUA, e Inglaterra.
A estatistica dos pilotos revela que 58% fizeram estudos nas áreas cientificas e matemáticas, 15% em áreas humanas e 27% combinação entre as duas áreas. Deles, 37% fizeram parte de movimentos juvenis. Um em cada quatro já tem familiar piloto na F.A.I. O curso de pilotos inclui estudos universitários, dos quais 34% formaram-se em matemática e computação, outros 34% estudaram economia e administração e 28% estudos sociais.
CURIOSIDADE
A Força Aérea de Israel começou com pilotos de outros países que vieram ajudar o recém criado Estado Judeu. Entre eles um piloto judeu americano Gideon Lichtman, que faz parte dos pilotos escolhidos para o filme Above and Beyond produzido pela Nancy Spielberg, irmã de Steven Spielberg. Recentemente durante uma palestra a jovens do Projeto Taglit, que trás jovens para conhecer Israel, a Nancy teve uma surpresa ao ser apresentada a Ben Lichtman de 24 anos, neto de um dos seus heróis de filme.
TRÊS CIENTISTAS ISRAELENSES NO CERN
O Conselho do CERN, o maior laboratório de física do mundo, com sede em Genebra, Suiça e que desenvolveu o acelerador das partículas aprovou a nomeação de 3 cientistas israelenses para altos cargos na organização. O Prof. Eliezer Rabinovici da U. Hebraica de Jerusalém para vice-presidente, o Prof. Yossi Nir, decano da Faculdade de Física do Instituto Weizmann para a Comissão Científica do CERN. O Diretor Geral do Controlador do Estado de Israel, Eli Marzel foi nomeado para fazer parte da comissão de controladoria. Estas nomeações são o reconhecimento dos cientistas europeus a qualidade dos cientistas israelenses, pois Israel é o único país não europeu a ser membro da organização.
MAIOR DESSALINIZADOR DO OCIDENTE
A companhia israelense IDE, pertencente em partes iguais a ICL (Israel Chemical Limitada) e ao Grupo Delek, acaba de inaugurar na área de Carlsbad, na California o maior desalinizador do hemisfério ocidental. As instalações que custaram 1 bilhão de dolares produzirá 190.000 metros cúbicos de água potável por dia, representando 10% do consumo na região de San Diego. Com a crescente falta de água potável IDE tem desalizadores também na China, India, Chile, Venezuela, México, Israel e outros. Israel fornece água a Jordania e sem muita publicidade grande quantidade de água potável aos refugiados sírios que estão na monarquia hashemita. Fonte: Pletz.

Comentários