Mercadante nega tentativa de impedir delação e isenta Dilma

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou, nesta terça-feira (15), em entrevista coletiva na sede do ministério que não tentou impedir o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) de firmar acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. O ministro disse ainda agiu de forma “política e pessoal” e isentou a presidente Dilma Rousseff (PT) de qualquer responsabilidade na conversa que teve com o assessor do parlamentar, cuja gravação foi entregue à PGR nesta terça-feira (15).
“A presidenta não tem nenhuma responsabilidade, nem ninguém do governo, já disse e reafirmo, a responsabilidade é inteiramente minha. Eu estou encaminhando ao procurador-geral da República [Rodrigo Janot], ao presidente do Supremo [Ricardo Lewandowski] a minha total disposição de esclarecer o que for necessário em relação a esse episódio.[…] Não se discute uma questão de governo [na conversa com o assessor de Delcídio]”, disse.
O ministro disse também que o gesto de procurar o assessor foi pessoal e motivado por  solidariedade. Ele alegou ainda que trechos específicos da conversa foram divulgados, enquanto outros foram omitidos. “É absolutamente nítido, mesmo toda a tentativa do assessor de me induzir para algumas questões como essa [impedir delação], eu fui muito firme em deixar claro que era um direito dele e que não ia ter qualquer interferência, e que isto não era objeto da minha preocupação. {…} Qual era o objeto da minha preocupação? O objeto foi que eu vi uma campanha brutal na internet contra as filhas dele, isso me sensibilizou, uma pessoa que eu convivi por 13 anos, e eu chamei o assessor dele para dizer: “Eu estou aqui para fazer um gesto pessoal de solidariedade.”

Comentários

Anônimo disse…
Dilma lava as mãos e joga a batata quente para Mercadante.
Quem defende Lula e Dilma acaba por ser abandonado.
Zé Dirceu, João Paulo Cunha, Genoíno, Delcídio, Bumlai, donos de empreiteiras e diretores de estatais... todos se complicaram.

Lula, além de bandido, é um covarde, um traíra. Abandona os "cumpanheiros" quando a coisa fica preta.
E Dilma é a mesma coisa. São farinha do mesmo saco.
Agora, vai pra cadeia sozinho, Mercadante!!!