O Juiz Sérgio Moro praticou um gravíssimo ataque à constituição

O Juiz Sérgio Moro praticou um gravíssimo ataque à constituição e à ordem jurídica nesta tarde ao investigar a presidenta da república. Ao mesmo tempo, ao divulgar um audio sem qualquer conteúdo ilegal, agravou o clima de conflito no país. 
Junto com ele há dois outros atores operando para derrubar o governo legitimamente eleito. 
O presidente da Câmara Eduardo Cunha, réu em ação criminal, encaminha a votação da instalação da comissão de impeachment de maneira que frauda a decisão do Supremo Tribunal Federal.
Outro ator que age para convulsionar o país é a Rede Globo que amplifica o ambiente de conflito e aposta no acirramento.
O povo brasileiro deve se mobilizar na defesa das instituições democráticas e se colocar em vigília, sem aceitar provocação e não entrar em conflito físico.
O Supremo Tribunal Federal deve conter os abusos do juiz Moro e paralisar o golpe parlamentar que está em andamento liderado pelo Eduardo Cunha.

Comentários

Anônimo disse…
O juiz Sergio Moro, nesta última quarta-feira (16), já estaria fundamentando a decretação da prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A decisão do magistrado estava tomada. Lula seria preso antes de ser nomeado ministro e, em tese, ganhar a prerrogativa de foro privilegiado.
Foi quando chegou ao conhecimento de Moro a informação de que a decisão da prisão de Lula já era de conhecimento do Palácio do Planalto, que, inclusive, teria tomado as providências para frustrá-la, com a publicação de um diário oficial extraordinário efetivando a nomeação do ex-presidente para o cargo de Ministro-Chefe da Casa Civil, que assim já estaria gozando das prerrogativas inerentes ao cargo, mais precisamente o foro privilegiado.

Assim, Moro descobriu que estava sendo monitorado pela ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) a mando da presidente Dilma Rousseff.
Diante da situação, indignado com a atuação criminosa da presidente da República, o juiz resolveu quebrar o sigilo do processo e dar publicidade, como de fato foi feito.