Contragolpe: Resistindo, Lutando e Vencendo

Por Luiz Edgard Cartaxo de Arruda Junior, Memorialista, Diretor de Comunicação do Sindicato dos Servidores Públicos do Ceará, NDD e Fátima de Deus, Professora, Ativista, NDD. 
São várias vitórias que conquistamos na luta contra o golpe ora em curso, nenhuma delas reportadas com isenção pela velha e carcomida mídia brasileira. Dentre elas destacamos: a retirada da extrema direita na Esplanada dos Ministérios, obtida pelo Núcleo em Defesa da Democracia (NDD) que se concentrar a quase dois anos, todas as segundas feiras, na Praça dos Três Poderes, entre a boca da noite e o por do sol em frente ao Palácio do Planalto e que pretende fazer isso ate 2018 em apoio a plenitude da gestão do governo democrático, legitimamente eleito, da presidenta Dilma até a posse do presidente Lula. 

Denunciamos que os golpistas ocuparam a Esplanada dos Ministérios com cartazes, faixas, fixados em caminhões, ônibus, camionetas e barracas, pregavam cartazes até nas arvores (crime ambiental) placas com dizeres clamando a volta da ditadura a Intervenção militar, havia até suástica nazista (crime de lesa humanidade). Se sentindo protegidos por autoridades golpistas (Eduardo Cunha e Cia), ampliaram a invasão com barracas tomando todo o gramado da Esplanada, num golpe midiático.   
Ora, ora, ora com bem diz nossa comandante Dilma, se até as cruzes que a Comissão da Verdade pretendia fixar no gramado em homenagem aos mortos desaparecidos políticos pela ditadura foram vetadas com a alegação de ser proibido fincar objetos no gramado do Congresso Nacional com alegação que fere a lei de preservação do Patrimônio Histórico Mundial. Ali estava o gramado apinhado de barracas milimetricamente alinhadas e completamente vazias num típico acampamento de ocupação militar, sem nenhum combatente! 
O NDD denunciou,  http://fernandonsneto.blogspot.com.br/search?updated-max=2015-10-02T20:13:00-07:00&max-results=7&start=67&by-date=false, e chamou às falas o então Ministro da Justiça para o crime que estava acontecendo.  As barracas eram parte de um jogo midiático perfeito, mas faltou logo o essencial o povo. Acreditavam terem produzido uma imagem ideal para as TVs, perfeitinho demais.  E o povo que não é bobo repudiou a farsa montada.     https://luizmullerpt.wordpress.com/2015/11/23/barracas-vazias-da-marcha-e-a-volta-dos-que-nao-vieram-nem-foram/ . 
Depois de expulsas do gramado de Brasília, há uns sete meses, elas (as barracas) apareceram ressuscitadas a uma semana em São Paulo, em plena avenida Paulista, no calçadão da FIESP, acompanhadas de distribuição de filé mignon. E mais uma vez repudiadas pelo povo continuaram vazias, o golpe midiático naufragou mais uma vez. 
Chamamos a atenção dos defensores da democracia: a farsa jurídico-midiática-policialesca pode voltar a se instalar em Brasília durante a votação do golpe transvestido de impeachment. E sugerimos que se as barracas voltarem que sejam agraciadas com as cruzes com o nome dos mortos desaparecidos pela ditadura. 
E mais que não ousem trazer de volta o tal pixuleco porque vai acontecer o que já aconteceu na Barra Funda de São Paulo em Brasília em varias cidades brasileira quando o pixuleco mesmo guarnecido e defendido por dois cordões de militares foi furado. Quem viver verá! 
Reafirmamos mais uma vez que é crime de ofensa, difamação, injuria e não pode ser guarnecido pela policia.  É dever do Ministério da Justiça impedir a propagação desta infâmia, um acinte que é por a imagem de ex-presidente Lula como presidiário. Uma barbárie, literalmente um balão de gás um tigre de papel, vazio, só serve como imagem midiática, um incitamento a violência, e deve ser barrado pela Justiça. 
O contrario desta parafernália jurídico-midiática-policialesca foi demonstrado no que chamamos “efeito jararaca”, desencadeado por Lula (vilipendiado com um sequestro e a ilegal condução coercitiva, além da divulgação de gravações de conversas telefônicas dele com a presidenta Dilma, num claro atentado a soberania nacional), pensavam que ele intimidado assim não voltaria e deram com os burros n’agua, fez ressurgir Lula e foram manifestações com milhões de pessoas nas Ruas e Praças do Brasil. 
Lula voltou fera, não é mais só o “lulinha paz e amor" é também uma “jararaca” despertando uma euforia popular inimaginável.  Uma alegria incontida que se alastra pelo Brasil desde a grande mobilização nacional contra o golpe e pela democracia no dia 18/03/2016. Em todo o país milhares de rostos satisfeitos marchando em luta pela manutenção da democracia, o contragolpe vence e seu consolida. Em Brasília ficou demonstrada concretamente no dia 31 de março quando da realização da Jornada Nacional pela Democracia onde marcharam 200 mil pessoas e pelo Brasil mais de dois milhão de brasileiros. Nossas manifestações só aumentam apesar da mídia menosprezar, enquanto é visível o definhamento das manifestações golpistas dos coxinhas  mesmo com apoio maciço da mídia. 
Sabemos que eles não vão desistir, pois o que esta em jogo são 8 trilhões e 800 bilhões de dólares do pré-sal, a destruição  das conquistas da CLT, os programas sociais a UNASUL e os BRICS,  além quererem se apossarem da reservas financeiras do Brasil que só perdem para a China,  são mais de 380 milhões de dólares em dinheiro vivo e principalmente escapar da prisão, impunes das sonegações e desvios de dinheiro publico. Como não conseguiram fabricar um cadáver nas manifestações, resolvem ressuscitar o caso de Celso Daniel que já foi investigado pela policia tucana e arquivado pelo STF. 
Mais fortes são os poderes do povo consciente que resiste, luta e não se aliena.
E-mail Cartaxo Arruda: cartaxoarrudajrz@gmail.com

Comentários