O golpe e as bolinhas de gude no bolso do presidente

Vivemos dias de trevas político-jurídicas no Brasil, em cujo telão se transmite o espetáculo de um impeachment birrento contra uma mulher, cujo ‘crime’ foi ter puxado o tapete onde se escondiam crostas de corrupção contra nossa amordaçada mãe gentil há centenas de anos. Muitas ‘capos’ enriqueceram usurpando a Nação sob a complacência de quem deveria zelar por ela. Impunes até pelos livros de história.
Dilma Rousseff não negociou o combate firme à corrupção em momento algum. Nenhuma suspeita pesa contra ela e, no entanto, o grotesco desrespeito à Constituição lhe impõe crime que ela não cometeu e abre brechas para a apuração direcionada contra ‘inimigos’ escolhidos a dedo. E isso só tem um nome: golpe.
Não causaria preocupação alguma, além de ser salutar, se o combate à corrupção fosse equânime e atingisse a todos sem distinção. Mas o que se tem assistido nos permite concluir que a seletividade das ações político-judiciais tem um único objetivo: o de derrubar um governo eleito nas urnas (o de uma mulher), arrastando com ele o Partido dos Trabalhadores e qualquer possibilidade de vitória da legenda em 2018, com seu líder maior.
Se a tese não é essa, então que se explique claramente a morosidade com as denúncias contra o atual presidente da Câmara dos Deputados, que adotou por hábito agir como criança mimada em sua autodefesa contra a cassação, transgredindo regras sem ser incomodado com essa história de lei e de regimento interno. Às favas. Ele age como um menino que desfila pelas ruas da República portando um estilingue e um razoável estoque de bolinhas de gude no bolso, ameaçando aves de todas plumagens.

Até quando isso? Até quando o país ficará exposto a tamanho escárnio? Até quando a Nação suportará ser aviltada de maneira tão humilhante?
Por que segue intocável essa ruidosa orquestra do golpe, sobre a qual pesam suspeitas e mais suspeitas?
E então nos perguntamos: como andam as coisas do lado de baixo do Equador? Bem, do lado de baixo do Equador o ódio vem sendo sistemática, covarde e convenientemente alimentado.
Márcia Lia
Deputada estadual
-- 
Assessoria de Comunicação da deputada estadual Márcia Lia
16 3311 1300 (Araraquara)
11 3886 6604 (São Paulo)

Comentários