Vendas no varejo apresentam leve recuperação

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE revelou que as vendas no varejo apresentaram alta de 1,2% em fevereiro. No volume vendido pelo comércio varejista foi a taxa mais alta registrada desde julho de 2013, quando o avanço foi de 3,0%. A despeito de tal resultado positivo, o varejo não recuperou a perda de 4,1% acumulada nos doze meses anteriores. A média móvel trimestral do varejo permaneceu negativa pelo terceiro mês consecutivo. Em uma ótica comparada com fevereiro de 2015, as vendas do varejo tiveram baixas de 4,2%. As vendas do varejo restrito acumulam retração de 7,6% no ano e queda de 5,3% em doze meses.
Quanto ao varejo ampliado, que inclui material de construção e veículos, motos, partes e peças, houve alta de 1,8% em fevereiro na checagem com janeiro. Trata-se do melhor resultado para o mês desde 2010. De acordo com o IBGE, a alta no volume das vendas de fevereiro em comparação ao mês anterior reflete, principalmente, o comportamento das vendas de veículos, motos, partes e peças, que apresentou uma alta de 3,8%. Além disso, o segmento de vendas de material de construção também colaborou para este resultado, com alta de 3,3% em fevereiro ante o mês anterior. No acumulado do ano, as vendas ainda registram queda de 10,1% e em doze meses, o varejo ampliado registra recuo de 9,1%.

Os dados positivos do setor de varejo, ou seja, aumento das vendas, associados a outros indicadores, como queda da inflação e ajuste das contas externas indicam um ensaio de perspectivas menos pessimistas para a economia brasileira. No entanto, para que ocorra uma recuperação da economia são necessárias ações que acalmem o ambiente político, para que medidas de longo prazo possam ser implementadas para impulsionar o dinamismo econômico do país. Fundação Perseu Abramo.

Comentários