João Doria é o “lixo vivo” de São Paulo

Por Altamiro Borges - blog:
O paulistano era feliz e não sabia. Em curto espaço de tempo, ele conhecerá o verdadeiro João Doria, o ricaço elitista que detesta os pobres e que pretende transformar São Paulo em um paraíso para os especuladores e para os abutres da burguesia. Na campanha eleitoral, o tucano se fantasiou de “João trabalhador” – conforme o bordão fabricado por seus marqueteiros – para enganar os mais ingênuos. Venceu o pleito no primeiro turno e já tirou a máscara. Numa palestra nesta segunda-feira (5) para os empresários da Fecomercio (Federação de Bens, Serviços e Turismo de São Paulo), “João Dólar” esbanjou preconceito, arrogância – e burrice.
Ele afirmou que “a cidade é um lixo vivo”, criminalizou uma expressão cultural das periferias – “O pancadão [baile funk] é um cancro que destrói a sociedade” – e sinalizou que vai acabar com a Virada Cultural – que será transferida para o Autódromo de Interlagos. A proposta elitista gerou reações até entre tucanos tradicionais, como a do vereador Andrea Matarazzo. Para ele, a Virada Cultural já é um patrimônio de São Paulo, servindo para humanizar a cidade. “Confinar o evento é como um show patrocinado como qualquer outro em Interlagos. Vão credenciar, vai ter camarote VIP, toda aquela coisa”, reagiu.
“João Dólar” também bombardeou o programa Braços Abertos, uma iniciativa elogiada mundialmente por sua ação junto aos dependentes químicos. Ele reafirmou que pretende extinguir o programa, que prevê trabalho remunerado e moradia aos que aderem a um tratamento de redução de consumo de crack. Para o viciado em dinheiro e fama, o programa serviu apenas para expandir a “Cracolândia”. A partir de janeiro, os paulistanos sentirão na carne – e na consciência – o resultado de uma péssima escolha. Celso Pitta e Gilberto Kassab, outros dois oportunistas que governaram a cidade, serão fichinhas diante do ricaço João Doria.

Comentários