Autoritarismo e negligência ameaçam estudantes de IES em Sobral no Ceará

"Logo que eu soube da mudança fiquei muito preocupada e liguei pra minha coordenação para saber mais informações. Quando me atenderam, eu perguntei se era verdade e disseram que sim, falei que era inviável para mim porque da minha cidade sou a única que faz o curso e o ônibus não mudaria a rota apenas por um aluno. Então eu disse que ia trancar e a única coisa que me responderam foi 'então tá, você pode vir trancar'", relatou uma aluna de Serviço Social.
Eu disse que ia trancar e a única coisa que me responderam foi "então tá, você pode vir trancar"
O Instituto Superior de Teologia Aplicada (Faculdades INTA), Sobral – CE, em uma ação arbitrária decidiu remanejar os cursos de História, Jornalismo, Pedagogia e Serviço Social de seu campus principal para um anexo improvisado e de estrutura precária, ignorando segmentos como mobilidade urbana e segurança adequada.
Sem consultar a classe estudantil sobre a mudança, a Instituição de Ensino Superior (IES) apenas comunicou a decisão na terça-feira, 10, através do site oficial alegando “espaço mais adequado e cômodo para as atividades universitárias”. Para os alunos das áreas de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, a atitude da administração é nítida em tentar higienizar o espaço para atender a demanda das novas turmas de Medicina, curso de maior rentabilidade assistido através do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), programa que abriga mais de 80% dos alunos da faculdade.
O ato caracteriza agressão à maioria dos estudantes que moram em outros municípios da Região Norte. Não bastassem as exaustivas horas de viagem de suas cidades até o Campus Sede, agora, terão de pagar transporte para se deslocarem até o novo Anexo Parque da Cidade, local fora da rota dos ônibus universitários que obedecem ao trajeto comandado pelas prefeituras participantes.

"Logo que eu soube da mudança fiquei muito preocupada e liguei pra minha coordenação para saber mais informações. Quando me atenderam, eu perguntei se era verdade e disseram que sim, falei que era inviável para mim porque da minha cidade sou a única que faz o curso e o ônibus não mudaria a rota apenas por um aluno. Então eu disse que ia trancar e a única coisa que me responderam foi 'então tá, você pode vir trancar'", relatou uma aluna de Serviço Social.
A falta de diálogo e a tirania ressaltam o olhar de clientela sobre o ensino privado, além de revelar postura de extermínio à militância acadêmica, durante um manifesto contra o aumento abusivo das mensalidades em 2015 o Diretor Presidente, Oscar Rodrigues Junior, chegou a declarar que o curso de Serviço Social é o pior da instituição.
Por Carlos Filho - Ninja.

Comentários