Dória e o massacre na Cracolândia

Segundo o portal de notícias independentes Democratize, a ação foi decidida em detalhes com a participação ativa do atual prefeito João Dória ainda na primeira semana do novo governo. Na ocasião, a equipe de gestão decidiu por uma ação da prefeitura através da Guarda Civil Metropolitana (GCM) com apoio total da PM Paulista. A ideia inicial, proposta na reunião, era a de internação compulsória. Contrário à proposta, o Secretário de Municipal de Saúde Wilson Pollara, reprovou a ideia. Estavam presentes na reunião que decidiu o destino das pessoas na cracolândia, além do Prefeito João Dória, o Secretário Adjunto de Desenvolvimento Social, Felipe Sabará, que é coordenador do Programa Redenção, para viciados em crack por parte da Prefeitura de Dória.
Felipe Sabará é empresário e lucra com uma ONG, que ironicamente se chama Associação de Resgada à Cidadania por Amor à Humanidade (Arcah), sendo um dos fundadores, onde a principal atividade é pautada pela abstinência do uso de crack como forma de cura ao vício. A ONG fica na cidade de Botucatu no interior de SP e é modelo do Programa Redenção.
Sabará também é conhecido como fornecedor de insumos à Natura, possuindo quatro empresas no ramo. Hoje compõem a equipe de Soninha Francine, na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, deixando a frente de seu negócio Arcah (ONG), um grande acionista da Duratex, Alex Seibel e o advogado Rodrigo Leite.
Vale ressaltar que é a primeira vez que a GCM entra em ação conjunta com a PM e que ambas as administrações, prefeitura e estado, são lideradas pelo PSDB que têm longo histórico de truculência. O atual programa, que agiu com imensa estupidez deveria levar em conta que as pessoas ali presentes são doentes, viciados quase em estado zumbi social. A mera expulsão desses doentes, apenas os espalhará pela cidade, a menos que se retorne à idade média e executem essas pessoas. O lamentável episódio foi o primeiro ato do Programa Redenção, que substituiu o Braços Abertos da gestão Haddad, que chegou a uma taxa de 88% de recuperação dos viciados moradores de rua da cracolândia. APostagem.

Comentários