Para a Exame, todo brasileiro é o Mick Jagger

A Revista Exame compara o rock star Mick Jagger e os brasileiros, informando que aposentar não é assim, tão necessário, usando o vocalista da The Rolling Stones como exemplo.
Roqueiro multimilionário = trabalhador brasileiro. Será?
A Revista Exame, para sua nova edição publicada nesta quinta-feira, 11 de janeiro, explorou a nova política para aposentadorias, e, numa tentativa lamentável de reforçar a política austera de previdência proposta pelo governo, comparou o povo trabalhador brasileiro a Mick Jagger, informando que ele também "trabalha velhice adentro". O que a revista esqueceu é que o cantor, além de ser vocalista de uma das maiores bandas de rock'n roll do mundo, tem dinheiro, muito dinheiro, e todas as facilidades que isto lhe traz, além da sua fama.
"Se você não tiver uma fortuna como Mick Jagger, você terá de trabalhar para sempre" - Via Caneta Desmanipuladora
Os comentários no post da Exame são majoritariamente de críticas, questionando se a revista está comparando Jagger a um pedreiro, ou se ele aos 55 anos andou nas ruas com currículo nas mãos procurando emprego, visto que não é muito fácil conseguir uma colocação nesta idade. A revista está fazendo jus ao aumento de verba de 624% que o governo Temer deu a Editora Abril, que é responsável pela publicação.
Boa parte dos brasileiros morrerá antes de sequer ver sua aposentadoria caso seja aprovada a proposta de Michel Temer para a reforma da previdência. Boa parte desses trabalham por necessidade, diferente da celebridade, que pode se aposentar quando quiser e isso não lhe causará perdas financeiras significativas. Enquanto isso, sem um emprego o faxineiro, a professora ou qualquer outro profissional do Brasil dificilmente conseguirá pagar suas contas básicas, sequer se alimentar. Essa última situação inclusive é a mais comum e está ficando cada vez mais recorrente com o aumento do desemprego e os retrocessos trazidos pelo governo de Temer.
Estamos voltando na história, perdendo direitos. Publicações como a da Revista Exame auxiliam a isso. Matérias tendenciosas, que defendem as medidas de austeridade que estão sendo tomadas e afetam diretamente os trabalhadores e as trabalhadoras brasileiras. Somos bem diferentes de Mick Jagger, afinal, ele não é brasileiro, muito menos assalariado e a sua renda tá na casa dos milhões. Midia Ninja.

Comentários