Arqueólogos localizam caverna com manuscritos do Mar Morto

Segundo o Arqueólogo da Universidade Hebraica Dr. Oren Gutfeld, “esta é uma das mais excitantes descobertas arqueológicas, e a mais importante dos últimos 60 anos, nas cavernas de Qumran”.
As escavações em uma caverna nas falésias a oeste de Qumran, perto da costa noroeste do Mar Morto, provam que pergaminhos do Mar Morto do período do Segundo Templo estavam escondidos na caverna e foram saqueadas por beduínos em meados do século passado. Com a descoberta desta caverna, os estudiosos sugerem que ele deva ser nomeada como “Caverna 12″. A descoberta surpreendente, que representa um marco na pesquisa do Mar Morto, foi feita pelo Dr. Oren Gutfeld e Ahiad Ovadia, ambos do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém, com a ajuda do Dr. Randall Price e estudantes da Universidade de Liberty, em Virgínia, EUA.
A escavação da caverna revelou numerosos frascos de armazenamento e tampas do período do Segundo Templo que foram encontrados escondidos em nichos ao longo das paredes da caverna, dentro de um longo túnel. Os frascos foram todos quebrados e seu conteúdo removido, e a descoberta no final da escavação de um par de picaretas de ferro da década de 1950, comprova a caverna foi saqueado. Até agora acreditava-se que apenas 11 cavernas continham pergaminhos e esta descoberta é uma das mais importantes dos últimos 60 anos e embora que nenhum rolo de pergaminho fosse encontrado, apenas um pedaço de pergaminho enrolado em um jarro que estava sendo escrito, os resultados indicam que a caverna continha pergaminhos que foram roubados. Os resultados da escavação incluem os frascos em que os rolos e sua cobertura estavam escondidos, bem como uma cinta de couro para amarrar o rolo, um pano que envolveu os pergaminhos, tendões e pedaços de pele que ligam fragmentos, e muito mais.

Os achados da escavação incluem não apenas os frascos de armazenamento, mas também fragmentos de invólucros, uma corda que amarrava os pergaminhos, e um pedaço de couro trabalhado, que era uma parte de um pergaminho. O achado de cerâmica e de numerosas lâminas de sílex, pontas de flechas e um selo decorado feito de cornalina, uma pedra semi-preciosa, também revelou que esta caverna foi usado no Calcolítico e os períodos Neolítico. Esta primeira escavação a ter lugar na parte norte do deserto da Judéia, como parte da “Operação Scroll” vai abrir a porta para a compreensão da função das cavernas em relação aos pergaminhos, com o potencial de encontrar novos materiais. O material, quando publicado, irá fornecer novas provas importantes para estudiosos da arqueologia de Qumran e das cavernas do Mar Morto.
“A descoberta de outra caverna com pergaminhos atesta o fato de que muito trabalho ainda precisa ser feito no Deserto da Judeia e objetos de grande importância ainda estão esperando para serem descobertos”, disse Israel Hasson, Diretor-Geral da Autoridade de Antiguidades de Israel. “Estamos em uma corrida contra o tempo com ladrões de antiguidades que roubam os bens do património mundial para ganhos financeiros. O Estado de Israel precisa se mobilizar e alocar os recursos necessários, a fim de lançar uma operação histórica para realizar uma escavação de todas as cavernas do deserto da Judéia”. Fonte: Pletz.

Comentários