Lula: Agora o céu ganha a estrela que iluminou a minha vida

O velório e as homenagens a Dona Marisa reuniram milhares de pessoas no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), neste sábado. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a solidariedade e o abraço de militantes, dirigentes, colegas e familiares durante toda a cerimônia.
Em homenagem à Marisa, uma coroa de flores assinada por Lula com a frase: “agora o céu ganha a estrela que iluminou a minha vida”.
Ao final da cerimônia, ele agradeceu a todos que estiveram no local e que enviaram manifestações de apoio. Lula relembrou a importância do sindicato em sua história.
“Vocês não têm dimensão da representatividade desse espaço que nós estamos tem na minha vida. Aqui, eu aprendi a falar, eu perdi o medo do microfone, nós decidimos combater a ditadura militar, criamos o novo sindicalismo, nós pensamos em criar a CUT e o PT, aqui nós pensamos em fazer todas as greves que foram feitas e, a partir daqui, saiu a inspiração para que muitos sindicatos no Brasil se transformassem em sindicato”, lembrou.
“Aqui eu conheci a Marisa. Aqui eu casei com a Marisa. (…) Aqui nós tivemos os nossos filhos e aqui a Marisa sustentou a base para que eu me transformasse no que eu me transformei”, continuou o ex-presidente.
Lula exaltou o companheirismo de Marisa Letícia, que o apoiou e permitiu que ele chegasse à Presidência da República. “Eu sou resultado dessa menina que parecia frágil e que me deu a garantia que eu poderia viajar que ela segurava a barra dos filhos”, afirmou.
O ex-presidente citou diversos momentos da história do casal, como o nascimento dos filhos, que ele acompanhou, sempre, à distância, impossibilitado de acompanhar os partos.

“Eu assumi o compromisso com ela que eu ia assistir o parto do Luis Cláudio (filho mais novo) e quando eu estou na clínica, me liga um companheiro falando de uma reunião urgente. Eu outra vez pedi desculpas a Marisa e falei ‘meu amor, ainda não é dessa vez’. Quando eu cheguei ao hospital, já tinha nascido”.
“Eu vou continuar agradecendo a Marisa até o dia que eu não puder mais agradecer. E espero encontrar com ela com esse mesmo vestido que eu escolhi para colocar nela para mostrar que a gente não tem medo de usar vermelho”.
Ao final do discurso, Lula condenou os ataques contra a ex-primeira dama. “Eu tenho 71 anos e eu quero provar, para os facínoras que levantaram leviandade contra a Marisa e que eles tenham, um dia, a humildade de pedir desculpas a ela”.
“Eu tenho a consciência tranquila, tenho certeza da consciência e do trabalho da minha mulher. Querida companheira Marisa, descanse em paz porque o seu ‘lulinha paz e amor’ vai continuar brigando muito para defender a sua honra e a sua imagem”.
Dom Angélico, bispo católico brasileiro emérito da Diocese de Blumenau, participou, juntamente com outros representantes das mais diversas religiões, de uma cerimônia religiosa dedicada à Marisa Letícia.
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, homenageou, em nome de todos os petistas, a ex-primeira dama. “Marisa foi companheira e lutou ombro a ombro com o presidente Lula. Não é aquela visão daquela mulher que vive atrás. Ela tinha vida própria, sabe das lutas dos trabalhadores”, exaltou Falcão, ao desejar força ao ex-presidente Lula.
Da Redação da Agência PT de Notícias

Comentários