Ato na Globo denuncia participação da emissora no golpe de 64 e na derrubada de Dilma

Levante Popular da Juventude convoca toda a população a ocupar as sedes da emissora neste sábado
Redação Brasil de Fato
Dezenas de jovens ligados ao Levante Popular da Juventude realizaram um escracho em frente a sede da Rede Globo, no Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (31).
Segundo nota do movimento, a ação serve para denunciar a participação da Globo no impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2016. O protesto também faz referência à data em que se completam 53 anos do golpe militar realizado no Brasil, que aconteceu no dia 1º de abril de 1964.
“Junto ao judiciário, a Rede Globo é uma das forças que até ao momento tem conseguido sair ilesa. Com o aprofundamento da crise, a Globo cobra de Michel Temer a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência, a Reforma Tributária, entre outras, e tenta desvincular-se de Temer, fazendo críticas ao sucessor ilegítimo de Dilma”, diz trecho da nota.
Os jovens também denunciam a sonegação de impostos por parte da Globo, que teria usado 11 empresas em paraísos fiscais para sonegar pela compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002, segundo a Receita Federal. “O DARF, a ser recolhido pela emissora, era de R$ 358 milhões. Em 2013, base de cálculo junto aos juros era de R$ 732,5 milhões. Até hoje não há notícias sobre o pagamento e os novos valores desta dívida”, afirma outro trecho da nota.
A ação faz parte das mobilizações marcadas para esta sexta-feira (31) em todo o Brasil por diversos movimentos populares e centrais sindicais, para protestarem contra as reformas da Previdência, trabalhista e os projetos de terceirização.
"Ocupe a Globo"
O Levante apelidou o ato com o mote "Golpe, a gente vê por aqui", e está convocando toda a sociedade a ocupar a Globo neste sábado (1). "O Levante convoca agora a população do Rio de Janeiro a se somar à ocupação na Rua Jardim Botânico e toda a sociedade a participar dos atos do 1º de abril, em todas as capitais, nas sedes da Globo ou suas afiliadas, para ocupar a Globo, constranger a emissora e ver até onde consegue esconder a denúncia".
Para eles, a população brasileira "não pode aceitar que a Globo saia ilesa, pela segunda vez, de um golpe. Não podemos aceitar que agora se desvincule da imagem de Temer, sendo que ele é cria da Globo também. Devemos denunciar a verdadeira ação da Globo, que vai no sentido de consolidar o golpe e fazer o povo aceitar a retirada de direitos e o ajuste fiscal. Para a Globo, Temer foi sempre o protagonista da reconstrução do Brasil. Enquanto a Globo dá voz a golpistas, o trabalhador perde direitos", afirmam em nota.
Edição: Luiz Felipe Albuquerque

Comentários