Somente 8% do valor de doações prometido por Doria é efetivado

Jornal GGN - Apesar do prefeito João Doria (PSDB) anunciar diversas doações de empresas privadas para a prefeitura de São Paulo, somente 8% do valor total prometido, de R$ 626 milhões, foi efetivado.
Um exemplo é o caso da doação emergencial das empresas farmacêuticas, que iria destinar R$ 120 milhões em remédios para a rede pública. Somente cerca de R$ 11 milhões tiveram sua doação concluída, sendo que os outros R$ 109 milhões aparecem como “aguardando proposta” nas planilhas da prefeitura, segundo o jornal Folha de S. Paulo.
O valor anunciado das contribuições é bem maior que o investimento feito pela gestão municipal no primeiro semestre deste ano, de R$ 361 milhões. A prefeitura afirma que as doações não concretizadas são divulgadas para dar transparência ao processo.
Ainda de acordo com a Folha, R$ 225 milhões, ou 36% das doações, não aparecem como proposta oficial, sendo que algumas dessas contribuições não são confirmados pelas empresas que deveriam realizar as doações.
Este é o caso da companhia aérea Qatar Airways, que aparece como doadora de R$ 20 milhões para manutenção de pontes das marginais, após pedido do prefeito em visita ao país árabe. A empresa disse que não tem informações sobre o assunto
Em outro caso, os dados da prefeitura dizem que a austríaca Glock doaria 800 pistolas para a Guarda Civil Metropolitana, mas o representante da companhia no Brasil disse que serão cedidas 600 armas. É necessário uma permissão para a realização da operação entre os governos do Brasil e da Áustria. 
Em muitos casos, os valores dos produtos são estimativas da prefeitura ou da empresa que propôs a doação, mas faltam detalhes dos itens. Mais de 20 móveis diferentes, como mesas e cadeiras, aparecem com o mesmo valor. Em outros casos, não são reveladas os nomes dos doadores, como na revitalização do largo do Arouche, que seria realizada por “empresas francesas estabelecidadas no Brasil”. 
Até o momento, entre os maiores doadores com contribuições já efetuadas, estão a Microsoft, com R$ 15 milhões em ferramentas e treinamento para a rede de ensino, e a Eurofarma, com R$ 4,6 milhões em medicamentos.

Comentários

Anônimo disse…
Circula nas redes uma conclamação do bandido terrorista e “multi” condenado, José Dirceu/PT, para que os mortadelas se unam para tomar novamente o poder.
Sem se referir a nenhum tipo de golpe ou guerrilha, o “mentor intelectual” da roubalheira petista – que se fantasiava de consultor para receber milhões em propinas, mensalões e outros tipos de falcatruas – tenta, da prisão onde reside há algum tempo, comandar o levante dos ladrões em busca da chave do cofre.
E conta como sempre, com a ajuda fundamental do “companheiro” de sempre, o repugnante ser vivo mais honesto do planeta.
Pela lógica, o Zé Dirceu precisa mesmo de um “representante”, pois, nem a mãe dos seus filhos escapou de ser enganada por ele, que usou uma falsa identidade até para casar-se.
Afinal, plagiando e adaptando o provérbio popular:
Uma vez bandido, sempre bandido!
A “ditadura” dos militares foi mesmo terrível: deixou este criminoso sair ileso, sem condenação alguma...